✓ Senhora í Download by ✓ José de Alencar

✓ Senhora í Download by ✓ José de Alencar A Critique Of Marriage Of Convenience, Senhora Clarifies Universal Truths As One Time Lovers Reconcile As Husband And Wife The Poor Orphan Aur Lia Is Devastated When Her True Love, Fernando, Breaks Their Engagement For The Financial Rewards Of A Marriage Of Convenience To Another But Aur Lia Unexpectedly Inherits A Fortune And Plans Her Revenge Winning Marriage To Fernando With A Large Dowery, She Stuns Her Lover On Their Wedding Night By Imposing A Marriage Of Convenience Until The Dowery Is Returned The Marriage Descends Into One Of Hate Than Convenience, Until Both Recognize The Errors Of Their Ways Assim como O retrato de Dorian Gray de Oscar Wild, Triste Fim de Policarpo Quaresma de Lima Barreto e alguns poucos outros, esta obra prima para ser lida e depois ent o relida dia a dia, frase a frase.
When I read Senhora for the first time, I had no idea it was such an important book both to Brazilian Literature and for Portuguese language as well I remember that despite the fact I loved the end as a teen girl it always felt strange after all the book development After I got to read that wasn t supposed to end the way it did, and If the book had another ending, it would had replaced Mem rias P stumas de Br s Cubas as the opening book in Brazilian Realism Movement I almost wish Alencar had changed the end This is 10 million times a better book.
Penso que toda a minha gera o teve de ler esta obra para o vestibular e que poucos muito poucos de n s gostamos Fico refletindo no ninho das possibilidades e dos porqu s e me parece que h que se ter alguma maturidade para compreender a est tica Alicantina, a constru o de seus personagens, as id ias centrais dos seus romances e as riquezas de um Brasil que n o conhecemos Quando ficamos mais velhos e mais pacientes, percebemos estas min cias que nos encantam e nos trazem alguma dimens o humana sobre a sociedade que n o vivemos Na adolesc ncia, abandonei o livro e coloquei Jos de Alencar na estante dos que mereciam o meu mais profundo esquecimento Hoje me arrependo da heresia e caio a seus p s morrendo de as e implorando perd o Devorei o livro em dois dias e a cada fechar de olhos entre p ginas me via no casar o das Laranjeiras Apoiei Aur lia Camargo, culpei Fernando Seixas e, como toda leitora inocente, tomei partidos Depois fingia respirar e compreender motiva es para em seguida novamente perder meu f lego e as horas com seu enredo cativante Vi in meras semelhan as com Persuasion de Jane Austen, sobretudo nas s fregas sensa es de Aur lia ao aproximar de Seixas E ent o, finalmente dei o bra o a torcer e percebi que queria me arrastar pro S culo XIX, me trancar num Romance de Costumes e de l n o mais sair De algumas das raz es para o desejo que me toma de tamanho sobressalto logo a mim, t o fervorosa adoradora dos anos 60 , as aqui numeradas s o as pontas de lan a o charme da escrita velada pouco a pouco, do respeito l ngua culta, das refer ncias outros escritores, do homem aprendendo com a mulher a solidez e a import ncia da integridade do car ter, dessa mesma mulher como centro se descobrindo como indiv duo e das revolu es profundas pelas quais foi ela a respons vel na constru o da sociedade s o, de fato, a mim irresist veis A Literatura fez de mim uma rebelde inconformista com o tempo que lhe foi dado No mais, gosto da id ia de que um casal torna se real quando se conserva em duas pessoas de vidas pr prias que buscam aparar suas arestas cong nitas e quando aceitam que s o iguais em poder e movimento, dispensando assim a mesquinheza dos joguinhos emocionais que disputam quem capaz de humilhar mais ao seu par No que me remete ao Seixas aquele outro, mais moderno e de viol o dedilhado Amor s dura em liberdade E foi quando se igualaram, Aur lia e Fernando, nas suas condi es humanas t o distintas em motiva es e t o semelhantes no car ter de cada um, que o amar lhes foi poss vel e veross mil E, porqu n o arriscar, eterno Naquele tempo ramos menos c nicos e, diferentemente da Literatura Contempor nea, acredit vamos em finais felizes depois de longas sagas de aprendizagem e batalhas pessoais.
Evitem Nem por folclore.
Muito bom, achei engra ado tb N o sabia que o Jos de Alencar fosse t o mordaz, os personagens se merecem um cl ssico da literatura rom ntica brasileira que me desperta curiosidade h anos um pequeno livro que se centra na hist ria de Aur lia e Fernando Jos de Alencar tem uma escrita bel ssima prosa mas com a fluidez e o encanto da poesia Mas, a beleza n o o impede de tecer cr ticas mordazes ao cinismo e hipocrisia da sociedade de apar ncias do Rio de Janeiro do s culo XIX O surpreendente desta narrativa a protagonista Aur lia uma mulher forte e decidida apesar dos seus dezanove anos N o se rebaixa perante o homem e talvez, por ter estado na mis ria entra no jogo da falsidade da sociedade sup rflua com desd m Assim, ela goza com os que a humilharam sem que eles se apercebam, o que ainda lhe d mais satisfa o Fernando um poeta apaixonado mas, sem coragem para enfrentar os ditames da poca para ficar com seu eterno amor Embora, se arrependa amargamente da sua escolha antes de rever Aur lia, ele s percebe o qu o torturado ele , ap s esse encontro A rela o de quez lias e de amor sofrido, o cora o e alma do livro, aquilo que impele o leitor a continuar a ler a magn fica prosa de Alencar Contudo, o foco consegue ser excessivo pelo que, o livro beneficiaria de uma desenvolvimento maior das personagens secund rias Elas mereciam hist rias igualmente cativantes e uma personalidade mais atractiva.
Senhora certamente belo, ainda que incompleto todavia, uma brilhante introdu o ao Sr Jos de Alencar.
Eu adorei o livro A forma como Jos de Alencar conduziu a hist ria, me prendeu de todas as maneiras A constru o e o desenvolvimento das personagens foram bem administradas O autor conseguiu criar uma boa hist ria e ainda sim, criticar de forma sutil as indol ncias que a sociedade vigente fazia vista grossa.
Amei o enredo quase todo, s n o o concluo da narrativa, que me deixou profundamente chateada, apesar de ser o que eu previa, n o me satisfez a forma como foi colocado N o esperava a atitude que Aur lia tomou e muito menos a que Seixas deixou de fazer Terminei o livro querendo bater um papo s rio com Jos de Alencar, pena que isso n o poss vel.
Reread for research.
Deus no c u, romances alencarianos na terra.